Novo método é desenvolvido para medir o tamanho das estrelas de nêutrons




Um grupo de pesquisa de astrofísica desenvolvem um novo método para medir o tamanho das estrelas de nêutrons. O método se baseia em uma modelagens de explosões termonucleares que ocorre nas camadas mais altas das estrelas que emitem os raios-X.

Ao compararem a radiação dos raios-X que são observadas com modelos de radiação teórica de ultima geração, os pesquisadores conseguiram colocar um limite da fonte emissora. A pesquisa sugere que as estrelas de nêutrons deve ter cerca de 12,4 quilômetros.

"As medidas anteriores mostraram que o raio de uma estrela de nêutrons é de cerca de 10-16 quilômetros. Nós restringimos isso em torno de 12 quilômetros com uma precisão de aproximadamente 400 metros, ou talvez 1000 metros se alguém quiser ter certeza. Portanto, a nova medida é uma melhoria clara em relação a isso antes, diz o candidato ao doutorado Joonas Nattila da Universidade de Turku que desenvolveu o método.

Com as novas medidas acaba deixando mais fácil para os pesquisadores estudarem o tipo de condições núcleo-físicas existentes dentro das estrelas de nêutrons. Pesquisadores acabaram ficando mais interessados em determinar as equações do estado da matéria da estrelas de nêutron.

"A densidade da matéria-estrela de nêutrons é de cerca de 100 milhões de toneladas por centímetro cúbico. No momento, as estrelas de nêutrons são os únicos objetos que aparecem na natureza, com os quais esses tipos de estados extremos de matéria podem ser estudados", diz Juri Poutanen, o líder do grupo de pesquisa.

Com estes novos resultados ajudam a entender as ondas gravitacionais que foram recentemente descobertas que se originaram na colisão de duas estrelas de nêutrons

"A forma específica do sinal de onda gravitacional é altamente dependente dos raios e da equação do estado das estrelas de nêutrons. É muito emocionante como essas duas medidas completamente diferentes contam a mesma história sobre a composição das estrelas de nêutrons. O próximo passo natural é combinar estes dois resultados. Já estamos tendo discussões ativas com nossos colegas sobre como fazer isso ", diz Nattila..


Fonte:Space Daily
astronomia
Copyright © Isto é Curioso . Designed by OddThemes