Post Top Ad

Mistérios

Mitologia Grega

Post Top Ad

Imagem:Pixabay/Yuri_B
Os cruzados foi um movimento cristão que tinha o objetivo de conquistar a Terra Santa e Jerusalém sob o poder dos Cristãos. O movimento teve inicio na Europa Ocidental. O movimento foi de XI e XIII, nesta época, os cristãos tinham o domínio sob os turcos Muçulmanos.

No Oriente Médio, as cruzadas era chamada de "Invasão Franca" pois os povos viam estes movimentos armados como uma invasão e os cruzados vinham do antigo Império Carolíngio e se autodenominavam Francas.

Neste movimento, foi criado Os Cavaleiros da Ordem de São João de Jerusalém (Hospitalários) e dos Cavaleiro Templários que eram os mais ricos e poderosos daquela época.

O termo também era usado, por extensão, para descrever, de forma acrítica, qualquer guerra religiosa ou mesmo um movimento político ou moral.

O termo Cruzada não era conhecida no tempo histórico. Mas era chamada de "Peregrinação" e "Guerra Santa". O termo Cruzada surgiu porque os participantes do movimento se consideravam os soldados de Cristo, por causa da Cruz estampadas em suas roupas. A Cruzada era também uma peregrinação, uma forma de pagamento de peregrinação, busca de graça, e era considerada uma penitência.

No ano 1000, houve um movimento de peregrinação de Cristãos para Jerusalém, pois eles acreditavam que o fim dos tempos estava chegando, com medo de ir ao inferno, eles faziam todo tipo de sacrifício. Incidentalmente, a cruzada contribuiu para o comércio com o Oriente.

Antecedentes

Após a morte de Maomé, em 632, o exercito Árabe partiram ferozmente para retomar os seus antigo impérios, Império Bizantino e Império Sassânida, que estavam há décadas em guerra. Os Sassânidas, tiveram grandes derrotas em algumas batalhas, mas levaram 30 anos para serem derrubados, por se preocuparem com a expansão do império do que aumentar a sua resistência militar. 

O ultimo xá Indigerdes III (r. 632-651) morreu em Merve. Já os bizantinos não resistiram muito e entregaram uma parte da Síria, a Palestina, o Egito e o Norte da África, ,as ao fim ele sobreviveram e mantiveram Constantinopla.

Novamente os Muçulmanos partiram para a guerra e conquistaram a Índia, a Península Ibérica, o Sul da Itália, a França e as Ilhas mediterrâneas. Eles se tornaram uma civilização tolerante e brilhante sob o ponto de vista Intelectual e, artístico. Com todo o poder sobre o grande império, os muçulmano sofreram de grandeza, e acabou enfraquecendo no seu poder militar e politico. Aos poucos, as regiões longínquas se tornaram independentes e também recuperadas por seus inimigos, bizantinos, francos, reinos neo-godos os quais guardavam na memória a época de conquistas.

No século X, mercenários que se converteram ao Islã e tentaram criar reinos separados. Mas os turcos Seljúcidas (diferentes dos turcos Otomanos que foram criadores do atual estado da Turquia) lutaram para os reinos não se dividirem até que eles conseguiram vencer e deixar os reinos unidos. Travaram uma guerra contra os cristãos e destruíram as forças Bizantinas em Manziquerta em 1071 e conquistaram o leste, centro de Anatólia e Jerusalém em 1078.

Após a expansão, nos séculos X e XI, o Império Bizantino começou a enfrentar dificuldades; os nômades se revoltaram no norte da fronteira, que tomaram territórios da Península Itálica. Internamente houve uma expansão dos grandes domínios do detrimento do pequeno campesinato que acabou provocando uma diminuição de recursos financeiros e humano do estado. Para que não diminuísse ainda mais os recursos, o imperador Aleixo l Comnemo resolveu pedir ajuda militar ao Ocidente para bater de frente com o Seljúcida.

Os turcos seljúcidas estavam dominando a Palestina e os cristão do Ocidente perceberam que o seljúcidas eram uma ameaça e uma forma de repressão sobre os peregrinos. Em 27 de janeiro de 1095, no concilio de Clermont, o papa Urbano II aconselhou os franceses a libertar a Terra Santa e colocar jerusalém de volta a soberania cristã, mostrando a expedição militar como uma forma de penitência. As pessoas que estavam presentes ficaram alegres com a noticia e partiram rumo ao Oriente, com suas roupas estampadas com uma cruz vermelha. E foi assim que surgiu i nome "os Cruzados".

Fracasso

Os Cruzados começaram a enfraquecer: pela memória dos Europeus em meio à uma população hostil; a expansão aos nativos, fazendo com que o domínio ficasse cada vez mais difícil; as lutas entre os cristãos acabou deixando ele muito mais fracos. Isso acabou prejudicando as outras cruzadas, exceto a pacifica sexta cruzada (1228-1229), a cobiça e a brutalidade acabou prejudicando os movimentos; os judeus e cristãos foram massacrados por turcos armados em caminho à terra santa. O papado não conseguia ter o controle das grandes forças à sua disposição. 

O legado

Influenciaram as cavalarias e, com o passar dos séculos, a literatura.

Aumentaram a rivalidade entre Cristãos e Islã, mas também estimularam o contato econômico e cultural que deram um beneficio permanente de civilização Européia. Houve um aumento significante entre Europa e a Ásia Menor e também a Europa teve o conhecimento de novos produtos, principalmente, o açúcar e o algodão. E os contatos culturais que se estabeleceram entre a Europa e o Oriente tiveram um efeito estimulante no conhecimento Ocidental e, até certo ponto, prepararam o território para o Renascimento. 

Fonte: Wikipédia

Post Top Ad