Projeto Blue Book: O mais famoso e longo dos inquéritos oficiais sobre Ovnis

Imagem do arquivo Project BlueBook/American government archive
  

Governos mundiais possuem vários segredos mantendo tudo em sigilo, esse fato é visto como uma forma de conservar a população em segurança e tranquilizada. De acordo com uma pesquisa feita pela equipe de investigação e análise de dados do Isto é Curioso, os Estados Unidos estão entre os países que mais acumulam informações, organizações e projetos sigilosos do mundo.  Dentre os programas mais famosos podemos citar o “Blue Book Project” ou na tradução livre o Projeto Livro Azul, já ouvi falar?


Conhecido por se tratar de casos de avistamentos e contatos de objetos não identificados. O projeto Blue Book teve sua primeira iniciativa em 1947, porém, era chamado de projeto SIGN a qual foi relatado o primeiro caso de contato com OVNIs feito por um piloto privado.


-Projeto SIGN

   

Kenneth Arnold relatou às autoridades que avistou 9 objetos incomuns no céu de Monte Rainier em Washington, Kenneth comparou sua velocidade que modificam rapidamente.  "Era como discos pulando na água", afirmou o piloto em uma entrevista.  


Project Sign personnel in the T-2 Conference Room at Wright-Patterson AFB (1948)
Equipe de sinalização do projeto na sala de conferências T-2 na Wright-Patterson AFB (1948).
O Projeto SIGN( Projeto Sinal) tinha como objetivo determinar se esses objetos eram ameaçadores, além disso o projeto  tinha como base em suas teorias de que os objetos voadores seriam possíveis aeronaves soviéticas sofisticadas. 
  
Após o relato de Arnold, o Projeto SIGN publicou a Estimativa da Situação”, um documento que descreve que os extraterrestres era a suposta solução para os avistamentos de OVNIs. No entanto, isso causou um intenso desconforto para os oficiais da Força Aérea e superiores do Pentágono que não aceitou essa resposta tendo que destruir esse documento e lançar novas investigações sobre o caso porém, com respostas mais céticas. Entre o final da década de 1940 e início da década de 50 foi abandonado o projeto sinal e iniciou o Projeto GRUDGE.

-Projeto GRUDGE




O projeto Sign foi oficialmente desativado em 11 de fevereiro de 1949, nesse momento os relatórios que sobram do projeto Sign foram arquivados e considerados com secretos”.  

Fotos de OVNI de Trent - McMinnville, Oregon - 11 de maio de 1950/Considerado uma das fotos mais famosas já tiradas de um OVNI.

Nesse ponto da investigação de Ovnis,  a maioria dos pesquisadores da Força Aérea acreditavam sobre a possibilidade de inteligência extraterrestre. No entanto, superiores queria evitar o caos e a desordem entre civis por ser um tema bem delicado aos ouvidos da população, o Projeto Grudge retornou com o intuito de explicar de uma forma científica os casos de avistamentos de objetos não identificados. 

Grudge durou cerca de oito meses e  não foi tão melhor quanto os projetos antecessores, eles também emitiram um documento descrevendo aproximadamente 273 relatos de avistamentos de OVNIs. O mais interessante desse projeto é que 23% destes relatórios foram listados com não identificados de acordo com o site UFO casebook. Em 11 de setembro de 1951, o capitão Edward J. Ruppelt assumiu o controle e junta a equipe tentaram fazer um último esforço para o esticar o projeto, dando um novo codinome Grudge II mas, sem sucessos.



O projeto de mais sucesso e longo dos inquéritos oficiais sobre Ovnis


Antes do recrutamento do capitão Ruppelt, o tenente Jerry Cummings era que comandava as redes do Projeto Grudge. No entanto, como o projeto estava em decadência e até mesmo as forças armada ridicularizavam a forma cuja a Força Aérea investigava os casos, “eram lentos e fraca”, diziam os oficiais das forças armadas. Quando o capitão Edward Ruppelt, um oficial de inteligência da Força Aérea assumiu o posto de chefiar as investigações, reorganizou totalmente o projeto com uma postura série sobre o problema e as exclamações. Dessa forma nasce o famoso e mais longo projeto de investigação de objetos não identificados, o Projeto Blue Book. 
 
O capitão atualizou os meios de recebimentos de relatórios e estabeleceu contatos com outras agências, além de escalar um consultor científico, o astrônomo Dr.J. Allen Hynek. Uma ficha padrão foi feita pela Ohio State University, logo em seguida o Battelle Memorial Institute foi contratado para desenvolver estudos estatísticos que foi nomeado de o projeto Cegonha.  
  
O projeto de investigação de UFOs já não era mais visto como ridículo, tanto que em 1952 depois de um aumento nos relatórios de avistamentos, todos os oficiais de inteligência de todas as bases da Força Aérea dos EUA foram concebidos a emissão de relatórios diretamente para o Blue Book. Agora os casos eram levados a sério e até mesmo sobre Ovnis e extraterrestre eram cogitados nos relatórios.

-Inspiração para o nome Blue Book

Apesar de ser um projeto que possui como tema investigação de Ovnis, a inspiração que levou aos oficiais escolherem blue book como título do projeto, saiu de um exame nacional norte americano que é realiza todo ano para os alunos ingressarem no ensino superior. O Blue Book Exam pode ser comparado com o Exame Nacional do Ensino Médio, Enem, o fato é que para passar no exame é necessário estudar muito. 

Você deve estar se perguntando, mas o que tem haver um exame nacional com um projeto secreto? Para isso devemos voltar para os anos 50, nessa época os relatos de Ovnis estavam em alta nos Estados Unidos, eram várias ocorrências e chamadas para os departamentos de seguranças. Nesse modo, os oficiais da Força Aérea tinham como missão encontrar respostas sobre os objetos voadores e relatar se possui algum risco, foi então que começaram a dizer que investigar esses casos era tão complicado quanto fazer o exame Blue Book. O nome acabou sendo adotado para o título do projeto.

-Criação da Sigla UFO( Ovni)

A sigla UFO que significa em inglês, Unknown Flying Object, que na tradução em português é   mais conhecida como Ovni. O termo foi criado pelo Capitão Edward Ruppelt , o principal líder do projeto que buscava respostas com base científica para os avistamentos de discos voadores.


-A indignação de Dr. J. Allen Hynek



J. Allen Hynek em uma conferencia para falar sobre o Projeto BlueBook


Como consultor do Projeto BlueBook o astrônomo Dr. J. Allen Hynek fazia críticas sobre a forma como as investigações eram feitas após a escalação de Hector Quintanilla como o último diretor do BlueBook .  O doutor chegou a escrever vários relatórios sobre a equipe, ele descreve como despreparada cientificamente e muito pequena para a quantidade de investigações. 
  
“A equipe do Blue Book, tanto em número quanto em treinamento científico, é grosseiramente inadequada ... praticamente não há diálogo científico entre o Blue Book e o mundo científico externo… Os métodos estatísticos empregados pelo Blue Book são nada menos que que um travesti ”. Dialogo de Dr. Allen Hynek em seu relatorio. 
  
Os métodos de Quintanilla era distorcer as supostas alegações sobre os avistamentos sem qualquer tipo de estudo investigação profunda sobre os casos. "O método de Quintanilla era simples: desconsidere qualquer evidência que fosse contrária a sua hipótese". Afirmou Allen Hynek em seu relatório. 

O projeto foi oficialmente finalizado em janeiro de 1970, porém, continua a gerar várias polêmicas e teorias sobre as investigações e os casos inexplicáveis de avistamento de Ovnis.



Copyright © Isto é Curioso . Designed by OddThemes
google.com, pub-9501467335035114, DIRECT, f08c47fec0942fa0