A lenda do The Rake


Três anos atrás, eu havia retornado de uma viagem até as cataratas do Niágara com minha família no dia 4 de julho. Nós estávamos todos exaustos após um longo dia dirigindo, então assim que chegamos eu e meu marido colocamos as crianças direto na cama e fomos os deitar em nosso quarto.

Por volta das quatro horas da manhã, eu acordei para ir ao banheiro e como de costume olho para meu marido e depois me levanto. Porém, desta vez, quando me sentei na cama ele acabou acordando.

"Desculpe, achei que estava dormindo, eu vou ao banheiro…” - Disse para seu marido.

Quando ele se virou para minha direção seu olhar parou no mesmo instante e se agarrou em meus pés quase me derrubando da cama, muito assustado ele não me explicava o que estava acontecendo, estava totalmente calado e imóvel. Eu mesma fiquei calada para tentar entender o que aconteceu e logo consegui entender. Assim que meus olhos se acostumaram com a escuridão do quarto, nos pés da cama havia um homem sentado e naquele momento, assim como meu marido, congelei por completo, na verdade, aquilo não parecia um homem, seu corpo estava contorcido de forma perturbadora e sobrenatural, ele estava muito magro e sem nenhuma peça de roupa, parecia que havia sofrido algum acidente de caminhão.

A silhueta medonha deu uma volta na cama chegando bem próximo ao meu marido que se colocou em minha frente com intenção de me defender, mas a figura não se mexeu e não falou nada durante alguns poucos segundos (para mim foi uma eternidade). Ele apenas nos encarava, foi quando ele correu muito rápido para nosso corredor que dava acesso ao quarto dos nossos filhos. Eu e meu marido corremos na tentativa alcançá-lo e impedir que machucasse nossos filhos, assim que liguei a luz vi a criatura coberta de sangue e com minha filha nos braços, foi quando meu marido saiu em disparada derrubando tudo que havia na frente então a criatura desceu as escadas correndo e não aguentando o ritmo e nem a menina acabou largando ela no chão e fugiu coberto de sangue.

Imediatamente eu corri e me ajoelhei perto da minha filha que eu mal conseguia reconhecer por causa da quantidade de sangue que havia em seu pequeno rosto, ainda no chão toda ensanguentada uniu forças para me dizer:

“Mamãe, ele é o Rake!”

Depois disso, meu marido pegou o carro para levá-la para o hospital, mas com a pressa, ele não percebeu que a pista estava molhada e os dois caíram no lago e infelizmente nenhum dos dois sobreviveram.

Naquela noite perdi meu marido e minha filha, e o único que me sobrou foi meu filho Justin, nós evitamos muito em tocar nesse assunto por um tempo, Mas como a cidade é pequena a história se espalhou chegando assim na imprensa que logo chegou até nós. publicaram em um jornal e aparecia algumas pessoas que já tinham se envolvido com a criatura que se identificavam e acabava nos procurando para saber mais. Mas as informações não ajudou muito e várias eram um tanto como fantasiosas, mas em uma coisa me ajudou muito, ele escolhe suas vítimas visitando sua casa. 

Então coloco um gravador ao lado da cama todas as noites durante duas semanas, e era normal o barulho que eu fazia enquanto dormia. foi quando o som ficou muito acelerado e outra respiração mais ofegante apareceu, porém a respiração parecia estar bem mais próximo do gravador do que a minha. Era o Rake.

Eu e meu filho, nos mudamos desde a morte do meu marido e minha filha que arruinou nossas vidas. E depois disso nunca mais vi a criatura mas eu torço para nunca mais vê-lo, mesmo sabendo que ele ainda visita meu quarto.


Sua morte!

Era para ser uma dia feliz, era meu aniversário e naquele dia fui dormir tarde e por volta das três da manhã eu me assusto com algum barulho vindo da cozinha, me levantei para ver oque era e quando acendo a luz do quarto consigo ver a porta aberta e algo passar bem rapidamente, me tranquei dentro do quarto e ligo para polícia dizendo que alguém entrou no meu apartamento. Quando os oficiais chegaram vasculharam todo meu apartamento porém não encontraram nada que importasse para a polícia e como não havia provas que alguém tivesse entrado deixaram meu caso de lado.

Na próxima noite consigo ouvir passos e ruídos dentro de casa e fico com tanto medo que não quero nem abrir os olhos e apenas torço para que o sol apareça na janela. Na outra noite resolvi pegar uma câmera e colocá-la perto da cama de uma forma que registrasse tudo o que acontecesse dentro do quarto. Tranquei a porta e me deitei na esperança de não correr o risco de ser atacada e se algo acontecesse eu teria alguma prova para a polícia poder agir. Essa foi minha pior atitude…

No dia seguinte assim que acordei fui direto na câmera assistir o vídeo daquela noite, eu não havia escutado nada então consegui dormir tranquila pois parecia que minha casa estava vazia e não tinha nenhuma pessoa lá dentro fora eu. Assim que eu comecei a assistir estava tudo bem, eu me via virando na cama e tudo estava normal, até que por volta das duas e meia da noite eu consigo enxergar algo do lado do meu guarda roupa, havia saído das sombras do quarto, aos poucos saia do escuro e eu conseguia ver bem claramente a metade de um corpo de pé no canto do meu quarto e me observava fixamente, ele ficou pelo menos uma hora me olhando quando a cabeça dele muda de posição e agora ele estava olhando diretamente para a câmera, foi aí que pude vê-lo completamente quando ele saiu totalmente da escuridão. Quando consegui vê-lo me assustei, o seu corpo era muito magro ao ponto de conseguir ver seus ossos por cima da pele, as unhas eram grandes que pareciam garras, seu corpo era bem claro, sem pelos e completamente nu. Pensei que ele estivesse passando por necessidade e resolveu se esconder dentro da minha casa, mas nessas circunstâncias ele não parecia ser algo humano mas sim algo de outro mundo. Depois que ele saiu do escuro ele caminhou na direção da câmera e ficou encarando ela e pude reparar que no meio dos olhos da criatura havia um ponto branco, o que dava a aparência de zumbi para a criatura. Aquela coisa raciocinava e me passava medo quando olhava para aquilo, após meia hora ele reage abrindo sua boca mostrando seus dentes tortos e afiados e mesmo de boca aberta era possível ouvir algo como se fosse uma mensagem no meio de vários ruídos que perturbavam minha cabeça. Ele disse “sua morte” e parecia uma ameaça. Depois disso ele fecha a boca me observa mais um pouco e volta para o escuro da onde saiu. 

Eu não consigo dormir nem comer, pois isso me perturba. Reparei que minha porta está trancada e mesmo que não estivesse não consigo sair de casa, pois sei que ele está em todo lugar e parece me persegue até em pensamento. Eu não posso dormir pois sei que ele está aqui trancado comigo em meu quarto. Mesmo que eu contasse para alguém ninguém acreditaria em mim.

Postar um comentário

0 Comentários